Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020

Estadual
Terça-Feira, 09 de Junho de 2020, 09h:04

COVID-19

Situação vai piorar e logo não haverá mais leitos em Mato Grosso, alerta Figueredo

Jô Navarro

Reprodução

Em coletiva de imprensa nesta manhã de terça-feira (9)o secretário de Estado de Saúde em Mato Grosso alertou para o rápido crescimento do número de casos de covid-19. "Nas últimas semanas os casos se multiplicaram no estado, infelizmente a situação vai piorar e não teremos leitos para casos graves. Não havendo leitos o paciente ficará onde está, não há o que fazer".

Ainda segundo o secretário, os municípios que habilitaram leitos de covid junto ao Ministério da Saúde devem disponibilizá-los imediamente. Ele criticou os maiores municípios por não terem habilitado leitos, deixando a responsabiidade "nos ombros da população". Citou como exemplo Sinop e Rondonópolis. "Os grandes municípios de Mato Grosso não criaram leitos de UTI e aí não tem solução máxima neste campo. E eu vou deixando claro que o Governo já publicou portaria para contratar leitos de UTI em hospitais particulares e filantrópicos. Estamos buscando alternativas, a questão é que vários hospitais não têm estrutura física e nem profissional habilitado para trabalhar nisso. Fazer a nossa parte, nós estamos fazendo. Faça você também a sua. Fique em casa, não facilite", alertou.

Gilberto Figueiredo confirmou o colapso de leitos no Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá, e no Metropolitano, em Várzea Grande.

“Em média, crescemos 5% ao dia, em poucas semanas estamos quase exaurindo os leitos de UTI. Não haverá leitos suficientes de UTI para atender a todos”, disse o secretário.

"Pode acontecer de hoje mesmo não termos nenhum leito mais à disposição no Hospital Metropolitano ou nos de Cuiabá, porque não para de chegar gente infectada. E mesmo assim, tem gente fazendo festa, andando na rua, visitando amigos. Estamos em uma situação muito ruim. Se você quer correr o risco, você será um paciente que não vai ter respirador a seu favor. Daqui a pouco, só teremos leitos de enfermaria e com pacientes morrendo sem respiradores. Não temos UTI e nem respiradores para todo mundo", ponderou o secretário.

Ontem o prefeito de Cáceres, Francis Maris, gravou em vídeo um alerta e comunicou o colapso de leitos no município.

"Nós vamos ter que tomar uma decisão, ou a vida das pessoas, ou a economia. Sei que muitos empresários já devem estar me condenando. Mas não tem outra saída". Segundo o secretário, os municípios 'fecharam tudo' quando tinha apenas 1 caso, agora com tantas mortes e casos registrados abrem tudo.

O Caldeirão Político questionou se a SES-MT recomenda a adoção de 'lockdown' nos municípios onde já faltam leitos de covid-q9. Figueiredo respondeu que cabe aos prefeitos tomar esta decisão e reafirmou a necessodade de colocar mais leitos em funcionamento.

O secretário citou a alternativa de criar barreiras sanitárias para controlar a entrada de veículos. 

Assista a íntegra da coletiva

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO