Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017

Estadual
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017, 16h:36

PARALIZAÇÃO

Sindicato manifesta contra governo de Pedro Taques

Redação

Sinpiag

Presidente do Sindicato Sinpiag, Edmundo Cesar Leite

Um protesto dos Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo Estadual, nesta segunda-feira(30), tem como objetivo chamar atenção da população o "descaso por parte deste governo comandado pelo senhor Pedro Taques", destacou o presidente da categoria Edmundo Cesar. Este governo vem demosntrando “uma trama e um complô que está desenvolvendo contra o servidor público, fazendo com que a população tenha a certeza que o culpado pela quebradeira e o rombo das contas públicas são os servidores públicos”. 

Representando os servidores, o presidente do Sindicato Sinpiag, Edmundo Cesar Leite, destacou que a principal pauta de reivindicação é sobre a reestruturação de carreira dos profissionais, que prevê o reajuste salarial dos trabalhadores.

O sindicalista salientou que é contra a PEC do Teto dos Gastos, ela é nociva para a população.

Outra reivindicação da categoria é quanto a taxação do agronegócio, por isso  o governo também precisa diminuir os incentivos fiscais e taxar o agronegócio, que só neste ano faturou R$ 40 bilhões. O que veio para o Governo do Estado? Zero! O governo tem que parar de passar a mão na cabeça desse pessoal”, disse o sindicalista.

Um dado importantane revelado pelo sindicalista é no que diz respeito a falta de de fiscalização que faz com que muitas empresas no Estado soneguem o ICMS. “Os fiscais da Sefaz (Secretaria de Fazenda) pararam de fiscalizar essas empresas, principalmente do setor de comércio. Os fiscais pararam de cobrar, agora eles só fazem o cruzamento de notas, tem que ir a campo”, afirmou Edmundo Cesar.

No Estado de Mato Grosso são cerca de 1.400 servidores que atuam na Área Meio, desenvolvendo trabalhos em todas as secretarias do governo e são responsáveis pela elaboração de projeto importantes, como a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) do Estado.

Segundo o sindicalista o atual governo trata os servidores com total falta de respeito, falta políticas sérias e comprometidas com o interesse público.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!