Terça-Feira, 02 de Junho de 2020

Estadual
Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 18h:11

COVID-19 EM MATO GROSSO

Secretário Gilberto Figueiredo sugere isolamento voluntário

Jô Navarro

Caroline De Vita/Secom MT

Gilberto Figueiredo

Mato Grosso tem 11 casos confirmados de Covid-19, dois deles hospitalizados. Estão distribuídos nos seguintes municípios: Cuiabá (8), Várzea Grande (2) e Nova Monte Verde (1).

Foram 455 notificações no Estado até esta quinta-feira, sendo 385 casos suspeitos, 11 confirmados e nenhum óbito.

Segundo a SES-MT, o aumento no número de casos suspeitos também é consequência da atualização do protocolo de definição de caso, conforme direcionamento do Ministério da Saúde; a medida impactou no aumento de casos suspeitos e confirmados em todo o país.

Isolamento voluntário

O Caldeirão Político questionou o secretário, durante coletiva de imprensa nesta tarde, se não lhe parece imprudente liberar a circulação de pessoas abaixo de 60 anos, considerando que a faixa etária das 11 pessoas diagnosticadas com Covid-19 varia de 26 a 50 anos. Gilberto Figueiredo respondeu que as pessoas não precisam de um decreto ou de uma lei para se autoisolarem.

"As pessoas têm arbítrio. Se toda a população que faz a pressão hoje para que o confinamento seja de 100%, por que eles não se autoconfinam? Não tomam essa decisão pessoal? Parece que todo mundo, pra entender, precisa de uma lei que determina o que ele precisa fazer. Nós estamos pedindo para as pessoas ficarem em casa, não vão pra rua, não pro shopping, não vai no supermercado. mas, parece que só vai fazer isso se tiver uma lei sugerindo isso? Quanto mais confinado você estiver, mais protegido você estará. Que tal você também tomar uma decisão pessoal e ajudar o Governo do Estado a proteger a saúde da população. Vai haver necessidade das pessoas estarem circulando, os profissionais da saúde, da segurança, os entregadores que têm que fazer entrega em domicílio, as áreas estratégicas que precisam trabalhar, algumas indústrias precisam trabalhar, as obras que estão em andamento precisam acontecer. Já tem obra parando de construção de hospital, isso não ajuda. Não ajuda paralisar tudo. É por isso que nossa estratégia é de confinamento para quem pode nesse momento; os nossos servidores, muitos deles estão em confinamento, mas tem aqueles servidores que vão precisar trabalhar, então essa decisão de quarentena total, queria saber quem é que depois vai tá atendendo pacientes que precisam chegar nas unidades hospitalares" (sic), respondeu Figueiredo.

O confinamento voluntário sugerido pelo secretário pode ser adotado por uma parcela da população. Para os que são empregados e não patrões, o autoisolamento voluntário é impossível. Para estes, é sim necessário um decreto ou lei.

Reabertura do comércio é questionada

Nesta quinta-feira foi publicado pelo Governo do Estado um novo Decreto que unificou os anteriores e especifica o que pode e o que não pode funcionar. Dentre as permissões está o comércio, inclusive shoppings. Por outro lado, permanece a proibição de missas e cultos religiosos. O MPE, MPF e MPT requereram ao governador Mauro Mendes a suspensão dos efeitos do Decreto 426/2020, que relaxou as medidas restritivas de prevenção ao coronavírus, liberando praticamente todo tipo de atividades comerciais e industriais. O ofício foi protocolado nesta quinta-feira (26).

Por meio de nota de esclarecimento o Governo do Estado nega ter 'relaxamento' das medidas restritivas de isolamento e não "liberou" o comércio "já que em nenhum momento o Governo de Mato Grosso havia restringido as atividades econômicas no Estado, a não ser academias, bares, lanchonetes, restaurantes, shows, eventos e reuniões de toda natureza." Veja abaixo íntegra da nota:

O Governo do Estado reforça que as medidas consolidadas em decreto publicado nesta quinta-feira (26.03) estão alinhadas com as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ministério da Saúde e com a nota técnica expedida pela Sociedade Brasileira de Infectologistas (SBI).

O Governo esclarece que, ao contrário do que foi publicado no site do Ministério Público Estadual, não houve qualquer “relaxamento” das medidas restritivas de isolamento, tanto que todas as ações para evitar o contato social foram mantidas.

Também não procede a informação de que houve “liberação” do comércio, já que em nenhum momento o Governo de Mato Grosso havia restringido as atividades econômicas no Estado, a não ser academias, bares, lanchonetes, restaurantes, shows, eventos e reuniões de toda natureza.

Importante ponderar que as atividades econômicas só estão permitidas para as empresas que respeitarem as normas sanitárias e garantirem a segurança e saúde dos trabalhadores contra o covid-19.

Saiba mais:

MPE,MPF e MPT notificam Governador a suspender decreto que libera comércio

 Mauro Mendes publica novo Decreto e determina isolamento vertical

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO