Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017

Estadual
Terça-Feira, 31 de Outubro de 2017, 18h:46

REPRESSÃO VIOLENTA

Prisão de servidores, spray de pimenta e o governador Pedro Taques

Jô Navarro

Reprodução

 A Polícia Militar reprimiu na tarde de hoje (31) protesto dos servidores do Detran-MT. Para desobstruir a via pública policiais usaram gás lacrimogêneo e spray de pimenta contra os manifestantes e acabou por prender três servidores públicos, uma mulher e um homem. Quase que simultaneamente as imagens da ação da PM foi publicada nas redes sociais e grupos de WhatsApp.

Se a intenção do governador Pedro Taques era assustar os servidores e convencê-los a encerrar a greve no órgão, o tiro saiu pela culatra. A opinião popular tomou partido dos trabalhadores. O  Sindicato dos Servidores do Detran (Sinetran-MT) , que representa a categoria, anunciou que entrará com representação contra os PMs envolvidos na ação. Até o pai de uma servidora foi preso no Cisc Planalto por reclamar o tratamento dado á filha, presa e algemada. Catherine Matos disse que ela e os colegas foram algemados e ficaram "expostos" na Casa Civil, para onde foram levados antes de seguirem para o Cisc Planalto.

O Governo de Mato Grosso, por meio do Gcom, saiu em defesa dos militares, alegando que eles haviam alertado os manifestantes para não impedirem o tráfego. Em coletiva de imprensa o scretário da Casa Civil, Max Russi, disse lamentar o caos e defendeu a postura dos policiais militares.

O resultado deste episódio lamentável acabou fortalecendo o ânimo dos grevistas, que tornaram-se os 'mártires' do movimento. Já há um grupo se organizando para protestar contra o Governo Pedro Taques num ato público que será realizado no Parque das Águas, às 18h, no dia 15 de novembro.

Em nota, a PM disse ter agido de acordo com o protocolo:

A Polícia Militar informa que adotou medidas legais e necessárias ao restabelecimento da ordem e desobstrução de via de acesso ao Palácio Paiaguás e outros pontos do Centro Político Administrativo (CPA), obstruída em protesto de servidores grevistas do Detran-MT.

Os grevistas foram orientados a não obstruir a via tão logo chegaram ao local. O uso de composto químico e as detenções somente ocorreram depois de reiteradas tentativas de negociação e a recusa no sentido de liberar o tráfego ora impedido por cadeiras e faixas expostas na pista.

Assessoria de Imprensa da Coordenadoria de Comunicação Social da PMMT

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO