Sexta-Feira, 19 de Abril de 2019

Estadual
Quarta-Feira, 30 de Janeiro de 2019, 06h:23

TAREFA DO EXECUTIVO

População espera que Mauro Mendes gestor apareça mais que o político

Cícero Henrique

Reprodução

Mauro Mendes

Como todo início de gestão, o governo de Mauro Mendes vive, em suas primeiras semanas, uma série de situações que mostram a necessidade de acomodação de atribuições e também de comportamentos. Acertos evidentes se misturaram a atitudes que foram exploradas pela oposição como deslizes, o que recheou as redes sociais de críticas. Apostar mais em ações da gestão, e menos no discurso político, pode ajudar a passar por esse período inicial, que é naturalmente mais turbulento.

Um exemplo foi o que aconteceu com o pedido, feito pessoalmente pelo novo governador, declarando calamidade pública o que não se encaixa segundo a Secretaria do Tesouro Nacional. A declaração foi uma demonstração da falta de conhecimento juridico da situação, ou seja, uma reação política, e não técnica.

Como a maioria do público não teve acesso ao contexto que motivou a manifestação, o governador recebeu duras críticas no ambiente digital. Injustas, claro, porque é evidente que Mauro Mendes não acredita que a solução para os servidores seja decretar calamidade pública. Pensou, naquele momento, sobretudo nos casos mais emergenciais, como na aquisição de alimentos e remédios. Como já foi dito, mostrou-se sensível e pediu ajuda.

O clima belicoso da disputa eleitoral ainda é nítido em ambos os lados. Contudo, a quem assumiu o executivo, muito além das picuinhas comuns a qualquer contenda, cabe prioritariamente estabelecer um discurso de “reconstrução”. Ou seja, o papel de indicar com firmeza o caminho que será seguido para superar as dificuldades – sem abrir mão de apontar os erros da gestão passada. Agindo assim, focando na gestão, o governo tende a ganhar muito mais prestígio e credibilidade junto à população. E, nesse sentido, ajudará muito se as principais manifestações sejam pensadas de forma conjunta com os seus auxiliares diretos.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO