Sábado, 19 de Outubro de 2019

Estadual
Sexta-Feira, 30 de Agosto de 2019, 17h:21

TOLERÂNCIA ZERO, DIZ GOVERNADOR

MT aplicou mais de R$ 60 milhões em multas nesta semana por crimes ambientais

As pessoas que insistirem nesta prática vão sofrer consequências muito duras, alertou o governador Mauro Mendes

Jô Navarro

Secom-MT

"Vamos cobrar todas as multas aplicadas em Mato Grosso por desmatamento e queimadas", disse hoje o governador Mauro Mendes. "Nosso lema é tolerância zero", acrestentou. Somente nesta semana foram aplicadas multas que somam R$ 60 milhões.

- Continuaremos com tolerância zero com o desmatamento ilegal aqui em Mato Grosso. As pessoas que insistirem nesta prática vão sofrer consequências muito duras, penas que vão de mil reais por hectare até 10 mil reais por hectare, além de ter bens apreendidos e ter consequências futuras de embargos nestas áreas, porque eles não vão poder usar estas áreas desmatadas", alertou Mauro Mendes.

- Nós não vamos tolerar mais isso, porque existe uma conseqüência dramática no estado, que são relacionados aos embargos comerciais, insistiu.

A declaração, durante coletiva de imprensa para balanço das ações de enfrentamento e combate às queimadas, evidencia a preocupação do governador com possíveis bloqueios às importações de produtos do agronegócio mato-grossense.

Mauro Mendes ressaltou o compromisso do Estado com a preservação ambiental: "devemos estar alinhados com com os instituições de preservação internacionais', disse o governador. 

Decreto

O Governo do Estado prorrogou o período proibitivo de queimadas em Mato Grosso – que se encerraria em 15 de setembro - até o dia 30 de novembro deste ano. As medidas foram tomadas para reforçar ainda mais o combate aos atos que causam danos contra o meio ambiente.

Embargo ao Couro

Mauro Mendes confirmou o boicote ao couro brasileiro anunciado nas redes sociais por algumas empresas. "Isso preocupa, pois Mato Grosso tem o maior rebanho bovino, certamente é o maior produtor de couro no país".

Aumento de focos de incêndio

Neste ano houve aumento significativo do número de queimadas no Estado, considerando o tempo extremamente seco e quente. No ano passado choveu mais e o número de queimadas foi bem menor, ponderou Mendes.

Todas as ações preventivas foram adotadas, como em todos os anos, porém a longa estiagem e calor favoreceram o aumento de focos.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO