Domingo, 15 de Julho de 2018

Estadual
Sexta-Feira, 06 de Abril de 2018, 10h:50

PREJUÍZO

Juíza bloqueia contrato e contas do Gcom com agências de publicidade

Cícero Henrique

Divulgação

Kleber Lima

Almoço oferecido pelo Gcom para profissionais de imprensa no dia 20 de dezembro de 2016 foi pago por agências de publicidade que têm contrato com o Governo de Mato Grosso. O caso resultou em inquérito instaurado pelo Ministério Público de Mato Grosso, por meio do NACO, em 2017.

Ontem (5-04-18) a juíza da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, Célia Regina Vidotti, determinou que o Governo do Estado suspenda imediatamente a divulgação de campanhas publicitárias e a execução do contrato de R$ 70 milhões para propaganda institucional por suspeita de improbidade administrativa do ex-secretário Kléber Alves de Lima. foram suspensos também todos os pagamentos de publicidade.

O MPE também acionou as empresas Casa D´Ideias, FCS Comunicação, Nova SB, Soul e ZF para que respondam a ação façam o ressarcimento ao erário.

O  promotor Mauro Zaque, por meio da  Vara pelo Ministério Público Estadual (MPE), foi o autor do pedido à Justiça.

“Defiro parcialmente a liminar pleiteada para suspender, imediatamente, a execução do contrato mº 009/2016/GCOM, do governo do Estado de Mato Grosso, por meio do Gabinete de Comunicação, bem como suspender todos os pagamentos, tanto de restos a pagar como das dispensas do exercício corrente, relativos ao referido contrato”, escreveu a juíza Vidotti.

Por meio de nota o Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso informou que "não foi notificado da decisão que determina o bloqueio das contas do Gcom e a suspensão do contrato de publicidade vigente no órgão. O Gabinete esclarece ainda que irá recorrer, via Procuradoria Geral do Estado, tão logo tome conhecimento oficial da decisão."

Por conta deste processo, os veículos de comunicação - TVs, Rádios, jornais e sites - deixarão de receber pelos serviços honestamente prestados para o Gcom. A má conduta de um resulta em prejuízo para centenas.

Kleber Lima também responde a outra ação por suspeita de assédio moral e sexual. No início deste ano ele deixou o Gcom e foi nomeado secretário de Cultura. Há poucos dias pediu exoneração "para avaliar propostas" de trabalho como marqueteiro.

Surpreende que o governador Pedro Taques não tenha exonerado o ex-secretário assim que tomou conhecimento do fato que prejudicou toda a cadeia de comunicação.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO