Quinta-Feira, 16 de Agosto de 2018

Estadual
Sexta-Feira, 20 de Julho de 2018, 08h:37

MDB E DEM

Eu não faço isso, diz governador sobre negociação entre DEM e MDB

Pablo Rodrigo, repórter de A Gazeta

Reprodução

Pedro Taques

“Eu não faço isso”. Com essas palavras o governador Pedro Taques (PSDB) comentou a reportagem de A Gazeta que revelou os bastidores da negociações que levaram o MDB a apoiar a candidatura do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), ao governo. “Algumas pessoas fazem tudo pelo poder, fazem o diabo para ganhar. O cidadão saberá avaliar isso no momento certo”, disse Taques.

O acordo entre Mendes e o deputado federal e presidente do MDB Carlos Bezerra envolveu recursos financeiros para as campanhas emedebistas nas chapas proporcionais, duas secretarias de Estado de “porteira fechada”, a filiação do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) ao MDB, além da indicação da ex-deputada Teté Bezerra, esposa de Carlos Bezerra, para uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e da indicação do ex-secretário Francisco Faiad (MDB) na lista tríplice da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB) para a próxima vaga de desembargador no Tribunal de Justiça.

O acordo teria ocorrido na semana passada. Depois dele, o MDB desembarcou do projeto de candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao governo.

Perguntado se já chegaram a propor esse tipo de acordo a ele, Taques disse que nunca o fizeram “porque porco sabe em qual pau se encosta”.

O governador vem afirmando que, diante de diversos pré-candidatos ao governo do Estado e com críticas que vêm de diversos lados, tem a impressão que estão todos contra ele. “Já notaram? Por quê? Eu mudei ou outras pessoas que mudaram?”, questionou recentemente.

Já Wellington Fagundes, que foi o principal prejudicado com a aliança MDB e DEM, não foi localizado para comentar o assunto.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!