Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017

Eventos e Negócios
Terça-Feira, 11 de Julho de 2017, 08h:06

ARMAZÉNS LOTADOS

Alta na produção do milho mantém previsão de safra recorde para 2017

Redação

A nova estimativa de safra de grãos para 2017 é de uma colheita de 240,3 milhões de toneladas, superando em 30,1% o que foi obtido em 2016 (184,7 milhões de toneladas). Trata-se de um aumento de 55,6 milhões de toneladas, em grande parte devido aos recordes esperados na produção da soja (114,8 milhões de toneladas) e do milho (97,7 milhões de toneladas). É o que mostra o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de junho, que o IBGE acaba de divulgar. 

No mês passado, a estimativa da produção do milho somava 97,7 milhões de toneladas, com aumento de 0,7% em relação às estimativas de maio. Esse crescimento se deve aos resultados da segunda safra do produto, que deve chegar a 66,8 milhões de toneladas.

Para Carlos Alfredo Guedes, gerente do LSPA, chama a atenção que as estimativas de safra tenham ultrapassado as 240 milhões de toneladas pela primeira vez. “O milho e a soja foram os principais responsáveis por esse novo patamar. No caso do milho, a segunda safra puxou a produção para cima e deve ser responsável pela maior parte da safra deste cereal em 2017. Em junho, estimamos que essa participação seja de 68,4%”.

Produção recorde do milho superlotou armazéns

Segundo Carlos Alfredo, a produção de milho vem superando bastante as expectativas. “Com a alta da segunda safra, ficamos sem local para estocar o milho. Os produtores estão improvisando a armazenagem e até mesmo estocando o cereal a céu aberto”, explica.

Outra conseqüência desta produção recorde pode ser o aumento das exportações, segundo o gerente do LSPA. Ele explicou que, com a quebra da safra de 2016, o preço do milho subiu bastante e chegou a ficar mais alto no mercado interno do que no exterior. Com isso, os produtores diminuíram as exportações. Carlos Alfredo lembrou que as exportações de milho acumuladas no primeiro semestre de 2017 recuaram 72,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Mas o recorde da segunda safra de 2017 poderá reverter esse quadro, derrubando os preços internos e aumentando as exportações de milho no segundo semestre.

O IBGE espera um aumento significativo na produção agrícola, considerando-se que a safra de 2016 foi prejudicada pelas condições climáticas adversas e acabou ficando 11,9% menor que a de 2015. O instituto também estima que a área a ser colhida chegue a 61,0 milhões de hectares e seja 7,0% maior que a de 2016 (57,1 milhões de hectares). Entre as culturas analisadas, o maior aumento na área colhida em relação a 2016 é esperado para o milho: 53,5%.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO