Sábado, 20 de Outubro de 2018

Cidades

Quinta-Feira, 22 de Dezembro de 2016, 13h:42

CUIABÁ

Quem desrespeitar faixa exclusiva para ônibus será multado, alerta prefeitura

Redação

Os motoristas que trafegam pela Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Av. do CPA) devem ficar atentos porque já está em funcionamento o novo corredor exclusivo de ônibus nos dois sentidos no trecho entre a Avenida Mato Grosso e a Avenida Vereador Juliano Costa Marques (Shopping Pantanal). Com o novo trecho, Cuiabá soma agora em torno de 10 quilômetros de faixas próprias para o transporte coletivo.

O novo corredor de ônibus tem seis quilômetros (3 km em cada sentido) e foi liberado após a conclusão da sinalização vertical – instalação de placas de orientação – ao longo do trecho. As placas indicam que a faixa é exclusiva para ônibus de segunda a sexta-feira das 6h às 20h.

Esta faixa de ônibus faz parte da nova sinalização implantada pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) nas avenidas Tenente Coronel Duarte (Av. da Prainha) e do CPA, que incluiu também a criação de 40 bolsões exclusivos para as motocicletas junto aos semáforos ao longo da Avenida Prainha e a Avenida do CPA até a sede da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt).

No trecho do corredor, a sinalização horizontal da via – nos dois sentidos – foi reforçada com a inscrição da legenda ÔNIBUS pintada no asfalto a cada 80 metros. Os condutores devem prestar atenção na linha contínua que delimita o espaço exclusivo dos ônibus e que tem uma largura de 25 centímetros.

Infração gravíssima

Para evitar uma multa, o ingresso dos veículos nas faixas só é permitido para fazer a conversão à direita e deve ser feito ao final da linha contínua, onde começa a linha tracejada.  O acesso à faixa exclusiva também é permitido para entrar em residências ou estacionamentos. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no artigo 184, o motorista de carro particular que trafegar no horário proibido estará cometendo infração considerada gravíssima, com multa de R$ 191,54 e 7 pontos na carteira, e o veículo poderá ainda ser apreendido e removido. 

A fiscalização para flagrar e multar os motoristas que trafegarem irregularmente na faixa é feita tanto pelos agentes de trânsito como por meio das câmeras instaladas em quatro pontos da Avenida do CPA e que são monitoradas a partir do Centro de Controle de Trânsito da Semob. As câmeras estão instaladas na esquina das avenidas Generoso Ponce com a Prainha (lugar conhecido como Beco da Onça); na esquina da Avenida Mato Grosso com a Avenida do CPA; nas imediações da sede da Polícia Federal; e também próximo ao viaduto da Sefaz.

Os corredores para o transporte coletivo foram implantados durante a gestão Mauro Mendes e o primeiro começou a funcionar em setembro de 2013 na Avenida Isaac Póvoas (próximo ao ponto de ônibus na Praça Tenente Antônio João Ribeiro), seguindo pela Avenida Generoso Ponce e terminando na Prainha (cerca de 1 km).

O segundo corredor (1.300 metros de extensão) foi instalado em abril de 2014 na Avenida Getúlio Vargas, entre a Praça Alencastro e a Estevão de Mendonça (perto do Choppão). No final de agosto do ano passado, foi ativada a faixa exclusiva na Prainha, entre a Praça Maria Taquara e a Avenida Mato Grosso e no sentido contrário da Avenida Mato Grosso até a Generoso Ponce (2 km no total).

Melhora a frequência

Conforme o secretário Thiago França, a criação de mais uma faixa acaba fortalecendo o transporte coletivo e ajuda na circulação, visto que a velocidade média dos ônibus aumenta, passando de 13 km por hora para 24 km/hora. “Disciplina o trânsito porque acaba com aquela disputa de espaço. Melhora também a frequência e diminui o tempo de espera do usuário no ponto”, aponta o secretário de Mobilidade Urbana.

De acordo com a secretaria-adjunta da Semob, Ana Regina Feuerharmel, estão previstos no Plano Plurianual (PPA) do município recursos para a implantação de mais um corredor, desta vez na Avenida Fernando Corrêa da Costa, numa extensão de três quilômetros, entre a Praça dos Motoristas (próximo ao Colégio Master) e o viaduto da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO