Domingo, 20 de Outubro de 2019

Cidades
Segunda-Feira, 02 de Setembro de 2019, 16h:51

COLÍDER

Preso em Colíder padrasto de menina de 12 anos vítima de abuso

MP pediu a prisão do padrasto que assediava a menor

Redação

PJC

A Polícia Judiciária Civil de Colíder (675 km ao Norte) cumpriu, na manhã desta segunda-feira (02.09), o mandado de prisão preventiva contra o padrasto de uma adolescente, de 12 anos, que estava convivendo maritalmente com o peão de fazenda, na zona rural do município. O suspeito, R.N., 42, também é investigado por fazer imagens pornográficas da menor e responderá pelo crime de participação em estupro de vulnerável.

O peão de fazenda, G.G., de 32 anos, que convivia com a menor e a mãe da garota, C.B.S., foram presos no dia 30 de julho, após a Polícia Civil receber várias denúncias sobre o relacionamento de aproximadamente dois meses do suspeito com a adolescente. Após a prisão em flagrante, foi representado pela conversão da prisão dos suspeitos em preventiva, as quais foram decretadas pela Justiça.

Durante a continuidade das investigações, foi apurado que além de consentir com o relacionamento precoce, o padrasto da adolescente tirava fotografia dos próprios órgão genitais e mostrava para a menor, bem como aproveitava para tirar fotografias da vítima em situação de nudez, em ocasiões em que ela estava tomando banho ou trocando de roupa.

Segundo o delegado de Colíder, Ruy Guilherme Peral da Silva, o suspeito também estaria atrapalhando as investigações criminais, uma vez que desde que a menor foi tirada da situação de risco (com a prisão do abusador e de sua mãe), ele a procurava na casa de sua irmã mais velha, onde ela passou a morar.

“Ele procurava a menor e dizia que logo a situação seria resolvida e que G.G. sairia da Cadeia e eles poderiam voltar a conviver, vitimizando a menor, reforçando na cabeça da vítima, que a relação promíscua e precoce era algo normal e que seria reestabelecido”, explicou o delegado.

Entendendo que a conduta do padrasto atrapalharia o andamento das investigações, foi representado pelo mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão de aparelhos eletrônicos do suspeito, visando as quais foram decretadas pela Justiça e cumpridas nesta segunda-feira (02). Na ação, foi apreendido o aparelho celular do investigado com objetivo de identificar possíveis imagens pornográficas da vítima ou imagens próprias que ele possa ter mostrado para a vítima.

A representação pelos mandados ocorreu no curso das investigações e o Ministério Público já fez a denúncia contra o suspeito (que também pode responder por outras condutas) pelo crime de participação em estupro de vulnerável.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO