Sábado, 23 de Março de 2019

Cidades
Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 08h:03

PROTESTO EM CUIABÁ

População protesta contra aumento da tarifa de ônibus; prefeitura faz operação "abafa"

Jô Navarro

Protesto contra o aumento da tarifa de ônibus em Cuiabá para R$ 4,10 mobiliza usuários do transporte público nesta sexta-feira (11). 

A concentração já começou a (11-01) às 07:30h na Praça Ipiranga.

A sociedade civil questiona o aumento da tarifa sem a renovação da frota e a falta de manutenção dos ônibus que acabam em falhas mecânicas em plena via pública.

Nesta semana o vereador do PSC, Abilio Junior, denunciou que o cartão de transporte público é na verdade um cartão de banco, já que não indica o número de bilhetes (passagens) adquiridos, mas créditos em reais.

"Isso é ilegal. O cartão é na verdade de débito. O dinheiro vai para uma conta bancária e é aplicado pela empresa", afirmou o vereador.

(Atualizada às 10:04h)

Operação abafa

Segundo um dos organizadores, Mário Benevides, a Prefeitura sufocou o movimento enviando 7 viaturas do Batalhão de Choque, viaturas da Semob e PM, além de enviar funcionários da prefeitura para a Praça Ipiranga, impedindo a manifestação popular. (assista abaixo).

A atuação de pessoas favoráveis ao aumento da tarifa de ônibus na Capital nos grupos de mobilização criados para organizar o protesto desta sexta-feira levaram dúvida aos usuários, atuaram pesado para abafar o movimento. Pessoas supostamente ligadas à Prefeitura e às empresas de transporte público fizeram de tudo para ridicularizar, atacar e desmobilizar a população.

Aparentemente, o horário escolhido pelos organizadores não ajudou, já que os trabalhadores não podem participar.

O transporte público na Capital é de fato ruim, a maioria dos ônibus são velhos e quebram com frequência durante o trajeto. Os aparelhos de ar condicionado não funcionam, os usuários sofrem com a lotação e calor. Sem compromisso de renovação da frota, usando o dinheiro dos cidadãos (cartão de débito) para aplicar no mercado financeiro, a tarifa de R$ 4,10 é exagerada e penaliza os usuários.

A Câmara de Vereadores avalia propor alteração na legislação, exigindo aprovação  em plenário das propostas de majoração de tarifas de serviços públicos. Atualmente, a Arsec tem a palavra final.

O próximo reajuste será na tarifa de Água.

 

 

2 COMENTÁRIOS:

Abafa? Eu trabalho no ganha tempo....nao tinha ninguém ai...povo fraco
enviado por: Natany em 11/01/2019 às 12:44:50
0
 
0
responder
Mario mentiroso, eu estava lá e nada disso aconteceu...Meia dúzia de PM e um carro da secretaria da ordem pública que estava lá fiscalizando ambulantes e nada mais. Cuidado eleitores isso é campanha política antecipada....
enviado por: Maurício Cuiabano em 11/01/2019 às 10:51:42
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO