Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Cidades

Segunda-Feira, 31 de Julho de 2017, 16h:26

FEBRE AMARELA

População da Regional Sul é considerada prioritária para vacinação contra a febre amarela

Redação

SIC/Cuiabá

A Secretaria de Saúde de Cuiabá está chamando a população para comparecer as salas de vacinação e regularizar o Cartão de Vacina em relação à Febre Amarela. Na capital, a prioridade é a Regional Sul e área rural. Nessas áreas, desde o dia 18 de julho, técnicos da Diretoria de Atenção Primaria das unidades básicas de Saúde e do Consultório Itinerante, estão  vacinando as populações prioritárias para imunização. Nas demais regionais da capital – Norte, Leste e Oeste -, as vacinas continuam sendo ofertadas nos dias estabelecidos por cada unidade.

A médica veterinária e gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), Moema Couto Silva Blatt, explicou que a vacinação é necessária em razão da comprovação da circulação do vírus em animais silvestres nessa região.

“Diante da ocorrência no Brasil de casos de mortes suspeitas por febre amarela e registro de epizootias (enfermidades contagiosas) em macacos, a Vigilância em Saúde de Cuiabá elaborou um plano de ação de vigilância dessas enfermidades estabelecendo o mapeamento das áreas que reúnem as condições ambientais para a permanência dos primatas”, explicou. Segundo Moema Blatt fazem parte desse mapeamento as áreas verdes, de proteção ambiental e locais em que esses animais permanecem em exposição ao público, além das unidades de atendimento médico veterinário.

Em Cuiabá, desde fevereiro, cadáveres de 12 macacos foram recolhidos e encaminhados para exame laboratoriais. Só um teve resultado positivo para o vírus. Esse animal foi recolhido em fevereiro, no bairro Novo Esperança III, próximo ao Centro Cultural Nipo-brasileiro, na Regional Sul.

Dos demais animais encaminhados para exames, três apresentaram resultados negativos, cinco estão com resultados pendentes, um deles deu resultado preliminar detectável e  em dois o exame foi inviável.

“Com localização do primeiro animal morto, a Vigilância em Saúde deu inicio a às ações de orientação da população da região próxima aonde foi achado o animal morto, de bloqueio vetorial com bomba costal motorizada, combatendo também os focos de dengue, Zika e Chikungunya, vacinação da população, monitoramento e investigação epidemiológica”, salientou Moema Blatt.

Após a confirmação do resultado positivo – único até agora – foi instalada a Sala de Situação do CIEVS, composta por técnicos da vigilância de zoonoses, vigilância a doenças e agravos e Atenção Primária, com o objetivo de tomar as medidas necessárias à situação.

A SMS de Cuiabá, por meio da Vigilância em Saúde, também solicitou ao Ministério da Saúde, mais  40 mil doses da vacina contra a febre amarela para a Atenção Primária, para serem utilizadas na atualização da Caderneta de Vacinação da população moradora da Regional Sul e área rural, inclusive, indo de casa em casa, na região.  

As demais unidades de saúde da capital, nas Regionais Norte, Oeste e Leste, possuem vacinas suficientes para atender a população, na rotina de agendamento já existente.

Vacinação

Em relação à vacinação, a recomendação do Ministério da Saúde é de que seja feita prioritariamente nas áreas com risco de transmissão e que os municípios afetados ampliem a cobertura vacinal para atingir pelo menos 99% da população alvo, que são as crianças de nove meses de idade até as pessoas com 59 anos.

A Responsável Técnica (RT) da Vigilância em Saúde, Valéria de Oliveira  ressaltou que a  vacinação continua sendo a principal indicação contra a febre amarela. “Mas a população precisa estar alerta, as pessoas acima de 60 anos, gestantes e mulheres que estejam amamentando devem ser avaliadas pelos serviços de saúde antes de serem vacinadas”.

As doses estão disponíveis nas salas de vacina localizadas na Regional Sul, todos os dias e devem ser aplicadas nos usuários que não apresentarem doses anteriores no seu cartão de vacinação, incluindo os usuários que procurarem essas unidades e forem residentes na área rural.

Desde o dia 18 de julho, uma equipe da Diretoria de Atenção Primária está aplicando a vacina. A imunização começou nas comunidades de Maria Hipólita, Arraial e Ponte de Ferro, com a vacinação de 40 pessoas.

Na área rural já foram vacinadas 319 pessoas, em comunidades como a da Escola Renascer, Raizama, Fazenda  Velha, Rio dos Couros e 21 de Abril.  Vacinadores da SMS de Cuiabá, estão indo nas localidades mais distantes, de casa em casa, atualizar a caderneta de vacinação.

Contra-indicação

Basta uma dose da vacina para que a pessoa esteja imunizada. Entretanto, há contra-indicações como nas  situações gerais das vacinas virais atenuadas, ou seja, a vacina contra a febre amarela não deve ser aplicada  em pessoas com imunodeficiência congênita ou adquirida, portadores de neoplasias maligna, em tratamento com corticosteroides em doses imunossupressoras e em outras indicações terapêuticas imunodepressoras como nos casos de quimioterapia e ou radioterapia.

“Também não devem ser aplicadas em crianças menores de 6 meses de idade, gestantes, para o imunodeprimido grave, pessoas com 60 anos ou mais, pessoas que tiveram reação alérgica após ingestão de ovo de galinha ou portadores de doenças  portadores de doenças neurológicas”, explicou Valéria de Oliveira.

De acordo com os dados da Gerência de Imunização (GEIMUNO), da Vigilância em Saúde (DIVISA), responsável pelo acompanhamento dos casos e distribuição de vacinas, em 2015 e 2016 não houve nenhum caso confirmado de Febre Amarela em humanos, no município de Cuiabá, ou óbito registrado em decorrência da doença.

As doses estão disponíveis em todas as salas de vacina da Regional Sul, de segunda a sexta-feira, das 07:30 as 11:00 horas e das 13:30 às 16:40 horas. A orientação da SMS de Cuiabá para os profissionais das salas de vacinação é que as vacinas devem ser aplicadas nos usuários que não apresentarem doses anteriores no seu  cartão de vacinação.

Para tirar as dúvidas da população a Diretoria de Atenção Básica está disponibilizando  telefone, 3617-7309.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO