Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019

Cidades

Sábado, 25 de Fevereiro de 2017, 09h:30

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Marido torturador escapa de exame de sanidade

Silvana Ribas, repórter do GD

Acusado de manter esposa sob tortura e em cárcere privado deixa de ser submetido a exame de sanidade mental. Hélio Pereira Cardoso Neto, 39, filho de um dos proprietários do Shopping Três Américas, compareceu na manhã de segunda-feira (20) no Instituto de Medicina Legal (IML) de Cuiabá, mas não foi submetido a exame pré agendado, por determinação do juízo da 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher.

Mesmo com a presença do médico perito, o exame não foi realizado. Segundo a assessoria de comunicação da Perícia Oficial e Identificação Técnica do Mato Grosso (Politec-MT), isto o ocorreu porque a vara em que tramita o processo não encaminhou a documentação necessária para análise do médico. Por este motivo o exame foi agendado novamente para o dia 1º de agosto, às 13h30.

Já, a assessoria do Tribunal de Justiça, informa que os quesitos a serem analisados pelo médico perito, foram encaminhados com o ofício do agendamento do exame, no dia 9 de setembro do ano passado. Nele estavam os pontos a serem questionados, por orientação da Justiça e Ministério Público.

Mais um ofício, com outros questionamentos, foi encaminhado ao IML, no dia 14 de fevereiro, com perguntas encaminhadas pela defesa do acusado. Estes seriam os únicos documentos necessários para a realização do exame. O gestor da 1ª Vara informou ainda que até a quinta-feira (23), não recebeu a informação sobre o adiamento do exame.

Hélio é acusado de manter a esposa em cárcere privado e sob tortura por dois anos. Após a denúncia da vítima, em abril do ano passado, Hélio que teve a prisão decretada, ficou foragido por 30 dias. Em seguida garantiu na Justiça a liberdade enquanto responde ao processo. Foi a defesa dele que pediu a avaliação psiquiátrica para tentar fugir de acusação, alegando sofrer de Transtorno de Personalidade do Cluster A (paranoide).

Pedido foi feito pela defesa, na época, ao juiz Jamilson Haddad Campos e o Ministério Público deu parecer favorável para realização do exame.

A vítima mantida em cárcere privado e sob tortura de marido não acredita na punição do acusado que nunca chegou a ser preso. A jovem M.C.M.S.P.C., 24, mudou de Cuiabá desde que foi resgatada pela Polícia da casa dos sogros, onde vivia em cárcere privado, enquanto o ex-companheiro mantém vida social ativa, amplamente divulgada em redes sociais.Enquanto aguarda pelos exames, Hélio que é filho de um dos sócios do Shopping Três Américas, ostenta em redes sociais fotos com amigos e namoradas em casas noturnas da Capital, apesar de ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Em entrevista exclusiva por telefone com a reportagem do Gazeta Digital, ela se diz decepcionada com a Justiça e não acredita na punição de Hélio, com quem conviveu durante seis anos, dois deles como esposa.

Garante que o “monstro” que a mantinha em trapos, sem acesso a telefones e impedida de falar com a própria família, não tem problemas psíquicos mas é um homem muito inteligente e perverso.

Em relação a punição, espera que o poder econômico da família dele não impeça que seja submetido à lei, como ocorreria com outro cidadão qualquer, sem os mesmos recursos. Hélio mesmo teria dito a ela várias vezes que ‘rico não vai para cadeia‘.

O agressor, relata a vítima, possuía armas de fogo e dormia com as chaves das portas dos quartos e as que davam acesso a rua e que a mantinha presa debaixo do travesseiro. Dava socos em sua cabeça dizendo que era o local ideal, pois não deixava marcas.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO