Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2018

Cidades

Quinta-Feira, 04 de Janeiro de 2018, 18h:59

CLIMATIZADA E AUTOSSUSTENTÁVEL

Estação Alencastro é a primeira autossustentável do Brasil

Redação

Divulgação

A primeira estação de ônibus climatizada de Cuiabá, a Estação Alencastro, será inaugurada nesta sexta-feira (05-01), às 17h30. Foram instalados 150 equipamentos fotovoltaicos (placas solares), ar condicionado, portas automáticas e temporizador que permitirá ao usuário acompanhar a chegada de seu ônibus.

Localizada na Praça Alencastro, na Avenida Getúlio Vargas, Centro Histórico de Cuiabá, será o ponto de parada mais utilizado pelos usuários do transporte público para se dirigir a locais como o Santa Amália, Terminal do CPA I, Grande Terceiro, Terminal Antártica, Jardim Gramado, Santa Terezinha, Pedra 90, entre outros. Por ele vão passar cerca de 30 mil passageiros por dia embarcando e desembarcando das 09 linhas de transporte coletivo.

O terminal vai contar também com um ponto da MTU para que os usuários possam fazer a recarga dos cartões. Recebendo até trinta mil passageiros por dia, com uma capacidade de acomodação simultânea equivalente a 760 pessoas, a estação traz uma tecnologia inovadora idealizada pelo prefeito Emanuel Pinheiro.

“Tudo o que o prefeito disse em campanha vem ao encontro com a entrega da Alencastro, humanização e conforto para o usuário do transporte coletivo. Ela vai ser a primeira do Centro Oeste climatizada e a única do Brasil autossustentável”, complementa o secretário de Mobilidade Urbana Antenor Figueiredo.

Nesta quinta-feira, 4, foram realizados os testes de automação, limpeza da obra e sinalização do entorno.

A obra

Iniciada em setembro ao ano passado, a área total de construção da estação é de 337,12 m2. As obras foram realizadas pela a empresa E. R. dos Santos Construtora – ME, cujo nome fantasia é “Matos Construtora”, com sede em Várzea Grande. Contou com 23 profissionais trabalhando diariamente na obra. Para isso, a Secretaria de Mobilidade Urbana remanejou, provisoriamente, o local de parada dos coletivos para cerca de 100 metros, ao lado do Banco do Brasil, que também fica na Getúlio Vargas proximo ao cruzamento com a Rua Barão de Melgaço.

O custo total do terminal ficou em R$ 1.224,000 (um milhão, duzentos e vinte mil), recurso vindo do Fundo Municipal de Trânsito.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO