Sábado, 21 de Outubro de 2017

Cidades

Sexta-Feira, 18 de Agosto de 2017, 18h:10

CUIABÁ

Cuiabá intermedeia acordo entre Estado e hospitais filantrópicos

Hugo Fernandes

Divulgação

A Prefeitura de Cuiabá obteve êxito na intermediação das negociações entre representantes dos quatro hospitais filantrópicos de Mato Grosso e o Governo do Estado, na noite desta quinta-feira (17).Para o prefeito em exercício de Cuiabá, Niuan Ribeiro, o resultado extraído dos vários encontros realizados para discutir os repasses do Governo em fevereiro passado foi satisfatório. “Apesar da crise financeira que assola a economia e afeta diretamente os cofres públicos, a sensibilidade sobre o papel dos hospitais filantrópicos para a saúde pública prevaleceu, para o bem de todos”, considerou.

De acordo com o Governo, serão repassados R$ 2,5 milhões por mês, nos próximos três meses, vinculados à contratação de serviços com valores três vezes maiores dos estabelecidos pela tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), que não sofre reajuste há mais de 15 anos. Porém, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho, ressaltou que o problema não está resolvido, uma vez que trata-se apenas de uma medida paliativa.

O impasse teve início com o fim dos repasses pelo Governo às unidades em fevereiro deste ano. Isso porque a Portaria 19 (SES/2016) estabeleceu uma ajuda no valor de R$ 2,5 milhões às instituições, a cada mês, para dezembro, janeiro e fevereiro. Com o término da contrapartida, a Federação das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas de Mato Grosso (Fehos-MT) alegou na semana passada que não tinha como dar continuidade aos serviços, nas Santas Casas de Rondonópolis e Cuiabá, bem como nos Hospitais Santa Helena e Geral Universitário (HGU).

“Fazemos mais de 3 mil internações por mês. A maior parte dos pacientes que atendemos são oriundos do interior. Portanto, alertamos o Governo sobre a necessidade dessa ajuda, pois não teríamos recursos para comprarmos insumos e continuar a atender. Nossos hospitais estão lotados, pois temos compromisso com a vida. Ocorre que estamos no nosso limite”, pontuou o diretor do Hospital Santa Helena, Marcelo Sandrin.

O acordo considerou a contratação de cinco cirurgias que afetam cerca de 9 mil pacientes, como cirurgia geral, vascular, ortopédica, urológica e ginecológica. A reunião contou com a participação dos secretários Municipais de Saúde, Elizeth Araújo, e Comunicação, José Roberto Amador, do governador, Pedro Taques, e secretários de Estado, além dos deputados federais Tampinha, Nilson Leitão e Valtenir Pereira, e estaduais Eduardo Botelho e Dr. Leonardo.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO