Segunda-Feira, 19 de Fevereiro de 2018

Brasil

Segunda-Feira, 12 de Fevereiro de 2018, 04h:02

GASTOS

TCU gasta R$ 7,8 milhões com vigilância armada

Redação

Reprodução

Tribunal de Contas da União

O Tribunal de Contas da União (TCU) empenhou R$ 7,8 milhões para prestação dos serviços continuados de vigilância armada, nas dependências da Corte e nas residências das autoridades. Além disso, o valor também prevê a segurança pessoal privada armada para condução de veículos oficiais de representação e acompanhamento de autoridades, compreendendo além da mão de obra, o fornecimento de uniformes e o emprego de todos os equipamentos e ferramentas necessários à execução dos serviços.

De acordo com o edital de licitação, a prestação de serviços compreende, além da mão de obra, o fornecimento de uniformes e o emprego de todos os equipamentos, ferramentas e EPIs necessários à sua execução. Ao todo, são 99 empregados entre vigilantes, supervisores, seguranças pessoais e encarregado-geral.

Os serviços são prestados no Tribunal de Contas da União, considerando o Edifício Sede e os Anexos I, II, III, situados no Setor de Administração Federal Sul, em Brasília, além das residências das autoridades, cujo endereço, em Brasília/DF, só é fornecido para a empresa contratada.

Reparo

A Presidência da República reservou R$ 7,9 mil para manutenção e reparo de móveis. O valor inclui a restauração de quatro marquesas (também chamadas por Recamier ou Sofá) Niemeyer, seis cadeiras (ou poltronas) Oscar, desenhadas por Sérgio Rodrigues, e duas cadeiras medalhão de braço, Cadeira (ou poltrona) Oscar.

TV para Polícia

O Senado Federal reservou R$ 1,2 milhão para a contratação de empresa especializada para a prestação de serviços de manutenção corretiva no circuito fechado de televisão (CFTV) da Secretaria de Polícia do Senado Federal. A Secretaria utiliza o sistema endura, da marca pelco, à medida que houver necessidade, com fornecimento de componentes/peças novas e originais, incluindo suporte técnico para operação assistida em CFTV.

Reforma

O TCU ainda reservou R$ 430,4 mil para a prestação de serviços de engenharia para reforma do piso elevado do anexo III da Corte. O prazo previsto para execução do objeto é de 4 meses, contados a partir da data limite para início dos serviços determinada na ordem de serviço. A contratada terá até 10 dias úteis a contar do recebimento da ordem de serviço para o início dos serviços. O valor total do contrato é de R$ 580.355,47.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!