Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020

Brasil

Quarta-Feira, 24 de Junho de 2020, 16h:30

POLICIA FEDERAL

Sara Winter deixa cadeia, mas vai usar tornozeleira eletrônica

Redação

Reprodução

Sara Winter

A extremista Sara Winter, que comandou o grupo “300 pelo Brasil “nos atos contra o Supremo Tribunal Federal (STF), deixa nesta quarta-feira (24)  a prisão, em Brasília.

De acordo com a decisão do ministro Alexandre de Moraes, que comanda o inquérito das fake news no STF, Sara terá que usar tornozeleira eletrônica e cumprir outras medidas cautelares, como não manter contato com outros investigados.

Nesta quarta-feira está vencendo o prazo de cinco dias da segunda prisão temporária de Sara e de Emerson Rui Barros dos Santos, Érica Vianna de Souza, Renan de Morais Souza e Arthur Castro.

O pedido de monitoramento de todos eles foi apresentado pela Polícia Federal (PF), que apontou risco às investigações e de cometimento de novos crimes. A Procuradoria-Geral da República (PGR) concordou.

Moraes disse na decisão:  “Verifico estar demonstrado o risco à investigação e a necessidade de restrição à atuação dos integrantes do grupo com relação aos fatos aqui investigados; considerando, todavia, a gravidade e reprovabilidade das condutas até agora a eles atribuídas, entendo ser suficiente para a garantia da ordem pública e a regularidade da instrução criminal, a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão, inclusive com a utilização de monitoração eletrônica”.

A defesa de Sara informou que vai recorrer da decisão que impôs o uso da tornozeleira.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO