Terça-Feira, 02 de Junho de 2020

Brasil

Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 15h:03

FAKE NEWS

Presidente divulga fake news e é desmentido pela OMS; ainda vai piorar

Cícero Henrique

O presidente Jair Bolsonaro fez exatamente o que critica em parte da imprensa: pinçou uma frase do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Ghebreysus e usou-a para justificar a quebra do isolamento social.

A repercussão foi péssima,  a OMS negou publicamente, ressaltando que defendeu que é preciso que os governos garantam uma assistência às pessoas que ficaram sem renda durante o isolamento recomendado pela própria OMS durante a quarentena.

"Pessoas sem fonte de renda regular ou sem qualquer reserva financeira merecem políticas sociais que garantam a dignidade e permitam que elas cumpram as medidas de saúde pública para a Covid-19 recomendadas pelas autoridades nacionais de saúde e pela OMS. Eu cresci pobre e entendo essa realidade. Convoco os países a desenvolverem políticas que forneçam proteção econômica às pessoas que não possam receber ou trabalhar devido à pandemia da covid-19. Solidariedade”, publicou Tedros Ghebreysus no Twitter.

Jamais defendeu a quebra do isolamento social, como disse o presidente. Na parte do pronunciamento omitida pelo presidente Bolsonaro, o diretor-geral da OMS afirma que “os governos têm que garantir o bem-estar das pessoas que estão perdendo renda e precisam desesperadamente de comida, saneamento e outros serviços essenciais”.

O presidente acabou divulgando fake news e incitando militantes radicais que exigem a volta ao trabalho.

A situação pode piorar ainda mais. Segundo Lauro Jardim, em O Globo, o presidente está gravando um pronunciamento que pretende veicular em rede nacional na TV e Rádio, ainda esta noite, citando a OMS para argumentar que sempre esteve certo.

O comportamento intransigente do Presidente causa imenso constrangimento no seu ministério que está cada vez mais unido na defesa do isolamento social, como preconizado pela ciência, especialistas e líderes de todos os outros países.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO