Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018

Brasil

Domingo, 11 de Março de 2018, 09h:23

DETONA JUÍZES

Eliana Calmon: “Me diziam que é inconstitucional investigar juiz”

Nocaute

Reprodução

Para ela, a Lava Jato não chegará aos magistrados

Para Eliana Calmon, a primeira mulher a compor o Superior Tribunal da Justiça, a Operação Lava Jato não chegará ao Poder Judiciário. Segundo ela, colegas da época em que era Corregedora-Geral da Justiça do Conselho Nacional da Justiça disseram que investigar juiz era “inconstitucional”. A magistrada também afirmou que integrantes da Força Tarefa da Lava Jato disseram que os advogados de delatores não querem que os seus clientes denunciem juízes.

A declaração foi dada em entrevista ao site Migalhas, nessa sexta-feira (9), na XVI Conferência Estadual da Advocacia Mineira. Leia abaixo o depoimento completo:

“Eu já estive conversando com os integrantes da Força Tarefa e eles dizem o seguinte: os próprios advogados dos colaboradores não querem que os seus clientes falem sobre os juízes. Porque falam sobre juízes, os juízes ficam e os advogados se inutilizam, porque o juiz nunca mais perdoa. E existe o espírito de porco, então o advogado não quer que haja denúncia. Sem a denúncia fica difícil. É muito difícil punir juiz. Eu era magistrada de carreira, era uma ministra, estava na Corregedoria, eu sofri horrores. Para fazer uma investigação financeira de desembargador, quase fui crucificada. Mas eu fazia inspeção, cadê o imposto de renda? Aqui a gente não entrega, mas tem que entregar. 48h para entregar o imposto de renda. Pega aí esse imposto de renda. Pegava o auditor que acompanhava a inspeção, ele num instante: patrimônio era descoberto. O que ganha não dá para ter esse patrimônio. 10 dias para explicar. Casou com mulher rica, tirou na loteria, e qualquer outra coisa. Não explicava. Ora, o que não se explica no patrimônio vem de onde? Caiu do céu? Vamos investigar. Sabe o que meus colegas do CNJ diziam? É inconstitucional investigar juiz”.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO