Quinta-Feira, 02 de Julho de 2020

Brasil

Quinta-Feira, 23 de Abril de 2020, 08h:36

TODOS PRESIDENTES RECLAMAM

Chico José: Globo e os presidentes

Magno Martins

Reprodução

Repórter Francisco José

Não foi por acaso que escolhi o jornalista Francisco José, do Globo Repórter, para a estreia das lives do Instragram do meu blog. Chico, como todos o tratam, é um dos maiores jornalistas do País, tarimbado, de couro curtido em grandes coberturas nacionais e internacionais. Repórter que faz e respira a notícia o dia inteiro que Deus dá. Para ele, não há distância que não seja alcançada para trazer ao telespectador o fato mais apurado, condensado e apresentado com brilhante texto e sotaque inconfundível.

No bate-papo comigo, Chico deu uma lição de Jornalismo e não se recusou a responder uma só pergunta minha e dos milhares de internautas que acompanharam a live. Não botou cara feia nem se intimidou igualmente quando provocado a entrar na discussão da relação da TV-Globo, onde trabalha há mais de 40 anos, com o Governo Bolsonaro, que incita os seus séquitos a intimidar os repórteres da emissora nas ruas, cumprindo a missão de informar com imparcialidade.

“Estou acostumado com isso (reclamações de governos à TV-Globo). Vem desde o tempo da ditadura. Repórter da Globo em pleno regime militar, estava entrando ao vivo no carnaval de Olinda. Daí a pouco, veio o bloco do Partido dos Comunistas me provocar ao vivo. Teve um dia até que eu pedi para tocar “Vassourinha” na hora em que eles estavam gritando e quando se viram no monitor passaram a dançar. Foi uma forma que encontrei para pararem de gritar “1,2,3,4,5 mil”, disse Chico. Para ele, os tempos atuais não fogem do figurino, apenas de moldura.

O que Bolsonaro quer, segundo o jornalista, é o mesmo que Lula, Dilma, Temer ou qualquer presidente deseja: uma televisão a serviço deles. “Como nós não falávamos e não falamos o que eles queriam ou querem agora, passam a gerar esse tipo de confronto para confundir o telespectador, mas nós, a TV-Globo, só falamos a verdade”, destacou. Chico foi mais além e arrematou: “Os seguidores de Lula desejavam uma Globo para falar o que Lula queria e os seguidores de Bolsonaro querem uma TV para falar só o que ele quer”.

Mas não é assim que a banda toca, segundo Chico. “Quando não responde a uma pergunta de um jornalista, o presidente deixa de prestar contas à sociedade. Diz ele, quase sempre: “Isso eu não falo”. Então, ele quer, como queria Lula, uma emissora de televisão que não fale nada que afete o Governo, mesmo tendo tantas coisas erradas. E há muito de errado, como mostrou a operação Laja Jato, que destruiu o País, como aconteceu. Eles ficam contra e os seguidores passam a gritar na rua “Fora Globo, fora Globo”.

Chico vai mais além na sua defesa do bom jornalismo que a sociedade exige e necessita. “Fake news? A Globo não tem fake news. Fake news são essas pessoas que criam para transformar a emissora em um inimigo. A Globo não declarou guerra a ninguém, a Globo mostra a verdade e muitas vezes no caso atual é só colocar a fala do presidente, não precisa falar mais nada”, diz o jornalista tratando especificamente da postura de Bolsonaro. O que ele quis dizer é que uma simples fala de um chefe da Nação, por mais fora de contexto em que esteja, é notícia, vira manchete.

“Coloca a fala do presidente e vamos ver a repercussão no que aquilo acontece. Tudo que um presidente de República fala é notícia. Desde o tempo da ditadura quando eu tentava no Sertão se aproximar do General Figueiredo para arrancar uma frase dele em relação ao drama da seca, tudo que ele dissesse, mesmo uma frase, já era notícia. Mas, na maioria das vezes, os seguranças dele arrancavam o cabo do VT para que a televisão não conseguisse gravar aquela situação”, lembra Chico.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO