Terça-Feira, 31 de Março de 2020

Artigos
Segunda-Feira, 02 de Março de 2020, 12h:19

OPINIÃO

Péssimos exemplos do TCE, TJ e ALMT

Cícero Henrique

Reprodução

Tribunal de Contas de Mato Grosso

Parece piada, o Tribunal de Contas quer aprovar Verba Indenizatória de R$ 35 mil para dobrar os ganhos dos seus conselheiros, o Tribunal de Justiça aumenta para 39 o número de desembargadores e concede RGA para seus servidores, cabendo a Assembleia Legislativa avalisar tudo. 

Uma falta de sensibilidade extrema por parte daqueles que deveriam dar exemplo, mas, pelo contrário, estão dando um péssimo exemplo para a sociedade, que enfrenta dissabores diante da crise que afeta o país e o estado de Mato Grosso.

Os semideuses e marajás não estão contentes com seus polpudos salários, mas assim mesmo querem sugar o último centavo da cada cidadão mato-grossense que paga os caríssimos impostos, mas não tem nenhum retorno eficiente por parte do Estado.

O Tribunal de Contas, o Judiciário e o Legislativo de Mato Grosso vivem em outro mundo, diferente dos cidadãos que pagam seus impostos com muito sacrifício.

Enquanto o governo Federal, o Congresso e os governos Estaduais recomendam solidez das propostas  econômicas e alertam sobre os problemas fiscais, aparentemente esse receituário é ignorado pelo TCE, ALMT e TJ. Esses Poderes estão querendo vender terreno na lua.

Leia também:

OPS entra na briga contra aprovação de VI de R$ 35 mil para membros do TCE-MT

Para piorar, esses Poderes não pensam na piora fiscal, sem resultar em mais dinheiro para gastar. Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas e Tribunal de Justiça mais parecem com o aluno que escolhe sentar no fundo da sala de aula. Passa o tempo todo nas redes sociais e, ao ser reprovado, diz que a culpa é do professor (executivo).

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO