Quinta-Feira, 02 de Julho de 2020

Artigos
Sábado, 30 de Maio de 2020, 07h:38

Wilson Carlos Fuáh

A felicidade usa máscara

Wilson Carlos Fuáh*

Arquivo pessoal

Wilson Carlos Fuáh

A luta pela sobrevivência é cada vez mais competitiva e o sucesso individual é construído com ações agressivas e algumas pessoas para ocupar o lugar da outra, usam todo tipo de golpe baixo, e por isso, as vitórias não têm trazem satisfação nenhuma e não são comemoradas.

As nossas felicidades estão calcadas em grandes projetos que são planejados buscando sempre metas que dificilmente serão alcançadas, e que estão diretamente ligadas as ações que dependem de outros fatores alheios a nossa vontade.

Por isso, que cada conquista é uma pequena felicidade, e para nos sentirmos felizes, temos que comemorar essas pequenas vitórias como se fosse um marco final de cada etapa positiva das nossas vidas.

As pessoas acham que a felicidade plena existe e que ela está logo ali, mas na verdade durante a nossa vida vamos somando pequenas felicidades, e não percebemos porque já fazem parte das nossas rotinas.

Muitos vivem a indagar se é necessário percorrer o mundo, descobrir tesouros secretos, ou atravessar o arco-íris para descobrir a felicidade das cores e dos amores. Quantos não se decepcionam em saber que a felicidade que eles buscam não existe; e mesmo assim, seguem em busca de sonhos impossíveis, mas vão deixando passar despercebidas as pequenas conquistas que vem a nós em forma de sinais, e que nos ajudam a interpretar e mudar de os projetos e escolher novos caminhos.

O importante é saber comemorar e sentir feliz sobre algumas coisas que eram suas e você perdeu, mas hoje voltaram a pertencer-lhes depois de muitas lutas: um ex-amor que partiu e hoje voltou; uma propriedade que você vendeu por necessidade e depois comprou novamente; a cura de uma doença na família; um filho que passou no vestibular ou um outro que foi contratado depois de muita lutas, ou mesmo alguma dívida que conseguiu pagar. Devemos surpreender nossas dúvidas sem distrações, e assim, percebermos estamos evoluindo e crescendo com os milagres pessoais e de acordo com que a realidade nos impõe.

Durante a nossa vida uma pequena vitória custa momentos difíceis, noites sem dormir, e a aflição de intermináveis vividos nos dias de espera, por isso, é importante festejarmos todas as nossas vitórias, deve estar sempre preparando novas comemorações, pois elas fazem parte das nossas pequenas felicidades, e que na verdade são celebrações de um triunfo na forma de pequenas conquistas. Ao final de cada dia temos que celebrar as vitórias desse dia, e que a lembrança de pelo menos uma vitória possa redesenhar outros projetos para novas guerras nas concorrências que temos que enfrentar, e cada manhã nos impõem novas lutas e novos objetivos, o importante é saber que a nossa história não termina com o fim do dia, pois logo ao amanhecer o novo dia estará lá fora nos chamado para dar continuidade a nossa história.

Muitas pessoas evitam demonstrar sua felicidade e não as comemoram, por medo de atrair decepções futuras ou mesmo para evitar a inveja e o “olho gordo”, mas ao contrário, ao comemorar e agradecer por uma vitória, aumentamos mais a nossa confiança e determinação sobre o nosso dia-a-dia.
Lá muito longe no horizonte indefinido você encontrará a sua esperança, basta saber expandir sua mente, vá além, e depois observe ao seu redor, e perceba que todas as coisa pulsam, tudo em sua volta é pura energia em forma de vida e de amor. As experiências nos enriquecem e mostram a importância das nossas conquistas, e cada pessoa tem o seu estilo de vida para nascer e criar dentro dela mesma ou se agregar a ela, porque cada um se identifica a sua maneira e sabe ao seu modo utilizar os seus próprios ensinamentos em busca das conquistas. Não existe um manual a venda, que lhe ensina como viver e como ser feliz.

Felizes são aqueles que a cada amanhecer sabem recomeçar a sua luta do dia a dia como quem observa as pequenas belezas em sua volta, e faz da sua rotina o prazer de estar construindo a própria vida profissional, e desenvolve sua atividade como se tudo que faz, pudesse trazer a satisfação pessoal como se fosse a primeira, e vive calmamente em busca da paz, mesmo depois de um dia tumultuado, sabendo que ao fim desse dia, ela (a paz) existe dentro do silêncio da noite que trará o descanso abençoado.

Devemos viver o lado bom da vida; e acreditando sempre que a procura do realidade deixando de lado o segredo perdido dentro das ilusões do mundo, e descobrir que a grande felicidade está dentro de nós mesmos e não nas coisas cheias de incertezas dos projetos sem planejamento como se fosse um encontro, “sem um lugar marcado”.

A felicidade usa máscara e muitas vezes não é identificada, porque ela é diluída em momentos felizes.

*Wilson Carlos Fuáh – É Especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO